A crise dos mísseis cubanos - quão perto da guerra nuclear chegamos?

53 anos atrás, uma guerra nuclear entre os EUA e a URSS foi evitada por pouco depois que Khrushchev 'piscou'

151028-kennedy.jpg

Imagens AFP / Getty

Em 28 de outubro de 1962, a crise dos mísseis cubanos chegou ao fim. O primeiro-ministro russo Nikita Khrushchev anunciou na Rádio Moscou que a URSS removeria os mísseis nucleares que havia estacionado na ilha caribenha de Cuba, a cerca de 90 milhas da Flórida.

Nas palavras do então secretário de Estado americano Dean Rusk, 'Estávamos cara a cara e o outro cara apenas piscou.'



Os EUA já tinham uma relação turbulenta com a ilha-estado de Cuba antes da crise. Em 1961, uma tentativa de invasão patrocinada pela CIA para derrubar o líder comunista cubano Fidel Castro falhou miseravelmente na Baía dos Porcos.

Castro queria ser defendido contra uma invasão americana em grande escala, mas a principal razão de Khrushchev para colocar os mísseis com seu camarada comunista foi que havia mísseis americanos estacionados na Turquia, perto da URSS.

Foi um jogo de temeridade política, mas até hoje é o mais próximo que já chegamos da aniquilação nuclear.

14 de outubro de 1962

Fotos tiradas por missões de aviões espiões dos EUA mostram evidências de mísseis nucleares balísticos, transportadores e bunkers em solo cubano.

16 de outubro de 1962

quem é a namorada de Boris johnson

ExComm (o Comitê Executivo do Conselho de Segurança Nacional) se reúne na Whitehouse para debater como responder à ameaça.

Eventualmente, é tomada a decisão de fazer uma declaração pública de bloqueio naval da ilha, a fim de evitar que mais mísseis sejam lançados.

22 de outubro de 1962

O presidente John F. Kennedy fala ao povo americano, anunciando o bloqueio e desafiando Khrushchev a remover as armas.

semifinais masculinas de wimbledon 2019

A maior força de invasão das tropas dos EUA desde o Dia D se reúne na Flórida para se preparar.

24 de outubro de 1962

O Comando Aéreo Estratégico dos EUA recebeu ordem de Defcon (Condição de Defesa) 2, o nível mais alto que já atingiu.

Na Europa, os bombardeiros americanos estão no ar 24 horas por dia. Cada bombardeiro carrega armas nucleares, cada um tem um alvo e cada um está pronto para ser lançado a qualquer momento.

25 de outubro de 1962

14 navios soviéticos recuam do bloqueio.

26 de outubro de 1962

Khrushchev oferece a Kennedy um acordo por carta - removerão mísseis em troca do fim do bloqueio e da promessa de não invadir a ilha sem provocação direta.

27 de outubro de 1962

Kennedy responde à carta de Khrushchev aceitando a oferta.

Por acordo secreto, os mísseis turcos também serão removidos.

28 de outubro de 1962

o estado-nação

Khrushchev vai ao ar para anunciar a retirada dos mísseis russos de Cuba.

Kennedy obrigado Khrushchev por telegrama, antes de reconhecer publicamente o fim da crise.

Os historiadores modernos observam que o impasse quase se transformou em uma calamidade global. Com bombardeiros no ar e quase 3.000 armas nucleares americanas sozinho em estado de prontidão, a crise dos mísseis cubanos poderia ter levado ao fim do mundo em poucos minutos.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | carrosselmag.com