Os melhores livros para adolescentes

Emma Lee-Potter pergunta a professores, bibliotecários e escritores sobre os livros que eles acham que todos os adolescentes deveriam ler aos 16 anos

Um adolescente lendo um livro
  • Este artigo apareceu pela primeira vez no The Week Independent Schools Guide 2021

Grandes esperanças de Charles Dickens

selecionado por Emily Weatherby, Chefe de Inglês, Bryanston

Um clássico romance de amadurecimento, aventura, mistério e romance, com um elenco de personagens que vão desde o comicamente pomposo ao terrivelmente sinistro. Da cabana do ferreiro nos pântanos de Kent às Inns of Court em Londres dos advogados, o romance está repleto de detalhes realistas do período - mas seus temas de exploração, ambição e injustiça são tão relevantes hoje quanto eram em 1861. Dickens é o mestre da reviravolta satisfatória, e a maneira como ele abre uma lacuna irônica entre o narrador de olhos arregalados, Pip, e a própria interpretação do leitor sobre o que realmente está acontecendo foi imitada, mas nunca melhorada.

The Housing Lark de Sam Selvon

selecionado por James Methven, Chefe de Inglês, Uppingham School



No momento, recomendo isso para tirar os alunos de sua bolha e ganhar uma nova perspectiva. Situado em Londres na década de 1960, é engraçado, comovente e desafiador. Selvon se concentra em um grupo de homens imigrantes caribenhos que procuram empregos, dinheiro, rum e mulheres. A cotovia deles é um pote de dinheiro da comunidade para se colocarem na escada da habitação e fora das garras dos proprietários de Englisher, em uma época em que cartazes com Não irlandeses, negros e cachorros eram colocados nas janelas. O romance termina com uma versão hilariante e intencionalmente distorcida da história inglesa em uma viagem a Hampton Court.

Aproveite o dia de Saul Bellow

selecionado por James Wilton, Vice-diretor, Repton School

Este livro significou muito para mim no início dos meus 20 anos - chegando a um acordo com a separação repentina da experiência de escada da escola e da universidade. Havia algo totalmente convincente para mim sobre o protagonista, Tommy Wilhelm. Ele parecia estar perpetuamente checando suas opções e nunca tendo certeza de qual delas o faria feliz. Também havia algo revelador sobre a maneira como ele confia no vigarista Dr. Tamkin, que para mim é um exemplo perfeito dessas pessoas perigosas e plausíveis que parecem ter todas as respostas e acontece que você se encontra, devastadoramente, quando está não está totalmente pronto para o mundo real. Um romance ideal - se não inteiramente reconfortante - para o abandono escolar.

O Grande Gatsby de F Scott Fitzgerald

selecionado por Jane Henshaw, Chefe de inglês, Sevenoaks School

O Grande Gatsby pode ser um retrato do hedonismo da proibição americana de 1920 emoldurada nas descrições requintadamente sedutoras de Fitzgerald das festas de champanhe e as estrelas de Gatsby, mas o romance também mostra um espelho para o agora. Contrariando o glamour, Fitzgerald escreve sobre o poder do mercado, a corrupção, o racismo, a violência doméstica e a impotência dos pobres. No centro do romance, entretanto, Fitzgerald nos pede que consideremos o enigma que é Gatsby - ele é lindo ou vazio? Sua vida explora a falsa promessa de empoderamento ou celebra nossa capacidade de maravilhar-se?

To Kill a Mockingbird de Harper Lee

selecionado por Richard Redwood, Chefe de Inglês, Canford

Uma história de amadurecimento que nos ensina a importância da coragem, da comunidade e da consciência. Para aqueles que são excêntricos, rabugentos ou simplesmente curiosos, Matar a esperança tem o remédio. Descubra a beleza da América e seus haints, morfoditos e scuppernongs. Cresça com Jean Louise Scout Finch conforme ela se encontra, seu pai heróico e a própria humanidade. Entre na mente de uma criança curiosa e realmente veja um tribunal americano. Divirta-se com os rumores da cidade fictícia de Maycomb, no Alabama. Uma obra-prima atemporal repleta de emoção. Um trampolim para descobrir outros grandes nomes americanos, como Willa Cather, Henry James e Edith Wharton.

Mil novecentos e oitenta e quatro por George Orwell

selecionado por Tom Smith, Chefe de Inglês, Hurst College

Um mundo distópico no qual os fatos são freqüentemente alterados para se adequar aos caprichos de um líder despótico. Pessoas vivendo isoladas, atormentadas pela paranóia e comandadas por imagens em teletelas. Tudo soa bastante familiar? A visão distópica de Orwell de um mundo sombrio no qual a figura vaga e assustadora do Big Brother é onipresente estava décadas à frente de seu tempo e ainda (assustadoramente) tem muito a nos dizer sobre política, confiança e relacionamentos humanos. Você sempre pode pular o apêndice sobre Os Princípios da Novilíngua se parecer um pouco trabalhoso. É um dos romances mais importantes e fascinantes que você já leu.

Oryx & Crake de Margaret Atwood

selecionado por Darryl Toerien, Chefe da biblioteca, Oakham School

Oryx e Crake de Margaret Atwood é um vislumbre profético do nosso futuro próximo. Como The Handmaid’s Tale e de Orwell Mil novecentos e oitenta e quatro , é um livro que, uma vez lido, te assombra. Talvez mais do que nunca, é uma leitura obrigatória e urgente para os alunos. Catástrofe? Verificar. Vírus? Verificar. Fabricado? Debatível, mas possível. Uma série de ondas sobrepostas? Verificar. Ruptura social maximizada, impedindo efetivamente o desenvolvimento de uma vacina? Verifique e verifique (pelo menos um coordenado). Como toda boa ficção científica, ela investiga o futuro para lançar luz sobre o presente. Diante disso, os leitores podem ajudar a evitar essa catástrofe ficcional.

O Diário de uma Jovem de Anne Frank

selecionado por Kate Jeffrey, Professor de inglês, Putney High School GDST

correios datas de natal 2019

O real valor do diário de Anne Frank às vezes é esquecido porque é lido em pequenos trechos ou por leitores mais jovens. Além de seu notável interesse como documento histórico e a tragédia da morte prematura de seu autor, é também um registro extraordinariamente franco e articulado da adolescência com o qual qualquer adolescente de hoje pode facilmente se identificar. Por pouco mais de dois anos, Anne luta com sentimentos de rebelião, desejo, ambição, esperança e desespero, tudo dentro dos confins terríveis do anexo. Espinhosa e honesta, amarga e generosa, Anne emerge como uma jovem de sensibilidade moderna e talento prodigioso.

As coisas desmoronam por Chinua Achebe

selecionado por Rutendo Tavengerwei, Autor

Esta é uma das minhas leituras favoritas - um livro que não é apenas bem escrito, mas que conseguiu desafiar a norma em seu tempo. Ele reconta a história da perspectiva africana e inspirou tantos escritores em todo o mundo até hoje. É um clássico, com excelente narrativa que desperta a imaginação. Ele abre a mente do jovem para todos os lugares que só uma história bem contada pode. Definitivamente, todo adolescente não deve ser privado da oportunidade de ler este livro incrível.

O último romance de Rutendo Tavengerwei, The Colors That Blind, é publicado pela Hot Key Books

Expiação de Ian McEwan

selecionado por Rick Clarke, Chefe, Frensham Heights

Acredito que a leitura de romances é uma das formas mais eficazes de nos ajudar a desenvolver empatia com os outros. Ian McEwan's Expiação tem uma surpreendente surpresa narrativa no final que literalmente me fez engasgar quando li pela primeira vez, reexaminando tudo o que tinha vindo antes. A história vai de 1935 a 1999, englobando os anseios do adolescente, o despertar sexual e os horrores da Segunda Guerra Mundial. É um exame convincente do impacto dos crimes cometidos contra indivíduos e a sociedade, e um romance que fica com você muito depois de terminar de lê-lo.

Fatura: dez razões pelas quais estamos errados sobre o mundo - e por que as coisas são melhores do que você pensa, de Hans Rosling

selecionado por Lucy Atherton, Bibliotecário chefe, Wellington College

Eu encontrei pela primeira vez Factualidade quando foi publicado em 2018 e gerou um grande interesse. Bill Gates considerou isso tão importante que deu uma cópia eletrônica gratuita a todos os novos alunos nos Estados Unidos. Fiquei atraído pela mensagem positiva do livro de que, ao contrário da crença popular, o mundo está melhorando em termos de pobreza, saúde, crime e educação. Este é um livro importante que tem relevância para tantas disciplinas ensinadas na escola, desde geografia e economia até política e estatística. É a chave para ajudar os futuros líderes a se tornarem cidadãos globais informados e apoiar o pensamento crítico - um elemento importante no currículo do Bacharelado Internacional. Normalmente sou um leitor de ficção, mas este livro é tão fascinante e instigante que o defendi enquanto uma escola inteira o lia. É interativo e envolvente e, no final do livro, o leitor tem uma visão infinitamente melhor informada do mundo. Estatísticas e gráficos são apresentados de forma atraente e de fácil interpretação. Não pense que este é um livro seco - Hans Rosling foi um homem carismático e bem-humorado e está cheio de anedotas reveladoras e honestas de seu tempo como médico na África rural.

A Winter’s Promise de Christelle Dabos (traduzido por Hildegarde Serle)

selecionado por Rebecca Jones, Chefe da biblioteca e enriquecimento de aprendizagem, Malvern St James

Este é um livro que o conduz a uma realidade complexa, alternativa e perfeitamente construída. Os personagens têm várias camadas e parecem abertos, mas com profundidades misteriosas e muitas vezes me vi tentando decifrar seus verdadeiros motivos. Esta é uma leitura memorável que o leva a lugares impossíveis, que contém um mistério mais profundo e fragmentos que inicialmente desafiam a análise. O diálogo revela que a verdade e as mentiras geralmente dependem do contexto e que a inteligência e a autoconfiança são elementos-chave da autodeterminação. Cada lugar é uma hierarquia construída que a personagem principal, Ophelia, tem que navegar e ela tem que se tornar cada vez mais politicamente apta para sobreviver. Para mim, este livro reflete as complexidades das culturas e relacionamentos modernos que envolvem o pessoal e o político, tornando-o uma leitura obrigatória. É também uma história envolvente e cativante.

Um Monstro Chama por Patrick Ness

selecionado por Ros Harding, Bibliotecário-chefe e arquivista, The King’s School, Chester

Um monstro chama foi publicado quando eu estava de licença maternidade com meu filho e, então, quando li, já havia ganhado as medalhas Carnegie e Kate Greenaway. Minhas expectativas eram, portanto, altas e, ainda assim, este livro conseguiu superá-las. Trata-se de um assunto muito sério (a morte iminente de uma mãe) e é adequado para uma ampla faixa etária. Quando digo 10+, realmente quero dizer qualquer idade além disso, pois este é um livro que fala em diferentes níveis para crianças, jovens e adultos. Embora seja um jogo de lágrimas, Ness consegue criar uma forte mensagem de positividade e esperança, que fala aos leitores independentemente de suas próprias experiências. As ilustrações de Jim Kay dão vida extra ao livro, trabalhando em uníssono com a bela escrita para criar uma obra-prima emocional.

Ros Harding ganhou o prêmio de Bibliotecário Escolar do Ano no ano passado

Americanah por Chimamanda Ngozi Adichie

selecionado por Jon Mitropoulos-Monk, Chefe de Inglês, Latymer Upper School

Uma terna história de amor, uma exposição marcante das falhas raciais da América e meu romance favorito da última década. Jovens e apaixonados, Ifemelu e Obinze trocam a Nigéria, comandada por militares, pelo Ocidente. A corrida para Ifemelu era irrelevante na Nigéria. Agora, estudando em uma universidade na América, ela está chocada com as muitas variedades de distinções raciais e racismo generalizado (explícito e implícito) que ela encontra. Eu não era negra até vir para a América, diz ela. Tornei-me negro na América. Ela se torna conhecida por seu blog sobre raça na América, que se mistura ao próprio romance, enquanto a narrativa se move entre a Nigéria, a América, o Reino Unido e de volta à Nigéria. A habilidade de Adichie consiste em fazer com que questões complexas pareçam totalmente diretas, escrevendo com força e clareza surpreendentes. Uma leitura incrível.

Brick Lane de Monica Ali

selecionado por Magnus Bashaarat, Head, Bedales

O romance de estreia de Monica Ali é um livro importante. Foi bem recebido pela grande mídia branca, mas a recepção entre a comunidade de Bangladesh foi mais complicada. As tensões vividas entre os imigrantes no Reino Unido entre integração e assimilação - ou articulação e celebração de seus próprios valores culturais e religiosos - são exploradas da perspectiva de Nazneen por meio de seu casamento arranjado com o infeliz Chanu. Linha final de Nazneen, Esta é a Inglaterra. Você pode fazer o que quiser, pode parecer afirmativo e otimista, mas 17 anos após sua publicação, com pessoas deslocadas, refugiados e requerentes de asilo da Síria, Iraque e África Subsaariana também competindo por um espaço seguro para viver nas cidades da Grã-Bretanha, as tensões permanecem sem solução.

The Outsiders por SE Hinton

selecionado por Catherine Bruton, Professora de inglês e teatro, King Edward’s School, Bath

Meu maravilhoso professor de inglês do GCSE, o Sr. Scott, sugeriu que eu lesse The Outsiders . Isso não apenas abriu meus olhos para o poder das histórias, mas também foi extremamente influente em minha própria escrita. SE Hinton tinha apenas 16 anos quando escreveu o romance, então é o romance adolescente final da maioridade e é dolorosamente brilhante. A história de duas gangues rivais - os greasers da classe trabalhadora e os Socs da classe alta - foi transformada em um filme de brat pack brilhante estrelado por Rob Lowe, Matt Dillon, Tom Cruise, Patrick Swayze e Emilio Estevez. Isso vai quebrar seu coração e ficar com você para sempre.

O novo romance infantil de Catherine Bruton, Outra Reviravolta no Conto, será publicado pela Nosy Crow em novembro

Persuasão por Jane Austen

selecionado por James Whitehead, Chefe, Escola Woldingham

O último romance de Jane Austen, Persuasão , é significativo para aqueles que valorizam a maturidade emocional dos outros. Hoje em dia, muito se fala sobre inteligência emocional; o protagonista deste romance está cheio disso, enquanto a solitária Anne Elliot habilmente navega pelas correntes turbulentas da sociedade do início do século 19, com seu materialismo, esnobismo e sexismo, defendendo uma compreensão radical do caráter humano e a necessidade da autora, como visto no capítulo 23: Os homens tiveram todas as vantagens de nós ao contar sua própria história. A educação foi deles em um grau muito mais elevado; a caneta está em suas mãos. Como alguém que acredita em livros, educação e capacitação humana, bem como no amor, Jane Austen me parece perenemente relevante.

Copyright © Todos Os Direitos Reservados | carrosselmag.com